terça-feira, 8 de novembro de 2011

Sobrou emoção pra quem foi no Est. H. Hülse...

...na noite desta 3ª feira(08) e acompanhou o empate entre Criciúma e P. Preta em 1 à 1 pelo Camp. Brasileiro. Bolas na trave, penalidades não marcadas, outros erros da arbitragem, falhas que ocasionaram o gol da Ponte...enfim...tudo o que um jogo decisivo pode apresentar. E a partida em si não foi boa tecnicamente. Se houve muita dedicação e competitividade por parte de ambos os times, faltou melhor qualidade técnica. Márcio Goiano errou ao começar com Guilherme jogando recuado. Mas acertou ao substituir Baráka por Schwenck no começo do 2º tempo, tentando dar maior ofensividade ao time. Andrey falhou no gol da Ponte e errou ao insistir em ficar no jogo sentindo lesão. Fabinho Capixába foi um lateral com altos e baixos; Rogélio mais seguro do que Â. Conceição; e, João Vítor não repetiu outras boas atuações. Jáckson foi o mais consciente do meio; Baráka se confundiu com Guilherme na tentativa de armar jogadas; e, Rôni ficou devendo mais uma vez. No ataque, Thiago Silvy correu muito e jogou pouco; e, Zé Carlos, o melhor do Criciúma com pênalte sofrido que ele mesmo bateu, fazendo o gol do Tigre. Além disso, o centroavante tricolor foi quem mais causou perigo ao adversário.
Quanto ao acesso, impossível não é. Mas, convenhamos, somente uma combinação pouco provável poderá colocar o Criciúma na Série A.
E a Ponte Preta? Mesmo sem ser brilhante mostrou que tem uma boa equipe, merece subir e teve o ala Patríck como o melhor em campo.
Sobre a arbitragem, Evandro Roman deixou de dar dois penais p/ o Criciúma. Um lance de mão e outro de falta sobre Fabinho Capixába. É assim? É!!! Mesmo que tenhamos de "engolir" o mundo do futebol já nos mostrou "vááááárias" vezes situações até piores! Seguem a vida, a bola, os erros, acertos e as emoções...

4 comentários:

  1. Minha opinião sobre seu comentário: não ouvi de ninguém antes da partida que o time estava mal escalado, ao contrário, escutei elogios sobre a escalação e ao esquema de jogo, o máximo que foi questionado por alguns foi em relação ao Henick em lugar do Jackson, nada além. O Tricolor não esteve preparado para o ritmo empregado pela Ponte, pensou que seria como o jogo da Lusa, esqueceram que os Ponte Pretanos viram o tape do jogo, vendo os epaços deixados pela equiepe Lusiana, aliás diga-se de passagem o Tigre correu pouco e deixou espaços para a ponte jogar, seria bom o Márcio Goiano rever o tape do jogo. Sobre o Márcio fez o que tinha que fazer, fez o que a torcida queria que fosse feito e se tem culpado, acho que tem, são eles (Delfim P. P. Filho, Guto Ferreira, Dpto de Futebol e os desvaneios cometidos por atletas descompromissados com o clube, a torcida e a cidade, podendo-se afirmar ainda que o único compromisso que tiverm foi com a casa verde, as green girls e por aí vai o turismo Criciumense, um trago aqui outro alí, e olha nós aqui, fazendo contas, matemática financeira, probabilidade e outras equações mirabólicas para ainda sonhar com o acesso, o que eu acho? melhor repensar o futebol, planejar para depois sim mostrar-mos ao brasil que aqui faz-se futebol, projeta-se e exporta-se atletas profissionais com base e estrutura, estrutura essa mostrada pelos tigrinhos com uma campanha exemplar na conquista merecida do Bí Campeonato Estadual de Juniores. Em relação a Andrey e ao árbitro nos lances decisivos da partida, eu entendo que o goleiro tem o direito de errar assim como tem a obrigação de acertar, o erro no gol foi anterior a falha do guilherme, e a zaga o que fez no cruzamento? literalmente bateu cabeça!!! e o Andrey lesionado tinha a obrigação de espalmar a bola assim como não tinha o direito de expressar, dizer o que pensa, acha e sente aos microfones no interva-lo do jogo. Não houveram váias para o goleiro na substituição e logo entendo que o respeito e admiração pelo atleta e vice versa são reconhecidos pelo esforço mútuo que vem das arquibancadas com o incentivo e da força de vontade de fechar o gol tricolor mesmo contundido. Ao arbitro Paranaense, meu conterrâneo, lazarento mau intencionado, simplesmente acabou com o sonho de acesso em 2012. Errou quando tinha que errar, somente nos lances capitais do jogo, influindo diretamente no resultado da partida. E o circo continua em Criciúma com o espetáculo: o Tigre de bengá-la!!! A direção tricolor no comando do Salvador Cesca com a palavra.

    ResponderExcluir
  2. Não vi o jogo, mas meu marido saiu indignado com erros de arbitragem e com um futebol não tão agradável quanto no jogo contra a Portuguesa. Mas sinceramente, nem vamos sonhar com um possível acesso à série A, é mais fácil pensar em arrumar o time para o próximo ano e já começando com o campeonato catarinense.

    ResponderExcluir
  3. Mais uma coisa comentarista (pai)... Não esqueça dos parabéns ao time dos juniores que mais uma vez mostraram a força do futebol do Criciúma, se consagrando campeões catarinenses.

    ResponderExcluir
  4. Gilberto Custódio9 de novembro de 2011 16:47

    Ok...Tamili e Éverson. Obrigado por opinar. Algumas questões sobre o Criciúma, efeitos e projeções, coloco na próxima postagem.

    ResponderExcluir